31/01

– Quanto tempo essa obra já levou, afinal?
– Três meses. Deve ser a gestação de um anão.

– O Cláudio comentou que havia passado em Haia, o suficiente para eu perguntar se ele chegara cantando “Não fuja da Haaaaia, não…”
– Com essa, eu me retiro.
– Acho que eu sou dependente de trocadilhos.
– E eu sou dependende de ouvir os trocadilhos dementes que você faz.
– No clipe do Nasi, as ilustrações do bairro da Liberdade quase incluíram uma loja TOKYO&STOK, e outra NASI&VIDEO.

30/01

Enquanto isso, no Mercado Livre:

Réplica: poh cara… agente estavamos com uma problema no sistema..

29/01

Isso deu nisso:




Quem se presta a registrar um site onde escreve e divulga banners contra uma pessoa, pode querer tudo, menos boicotar.

28/01

– E o Brica, como vai?
– Em breve teremos novidades.
– Tipo atualização? Aquela coisa complexa e tal…
– Você tem RSS, ou descobre ao acaso?
– Eu clico todo dia, mesmo.
– Eu demoro tanto a postar, que parte já entra “velha”.
– Pois é.
– Essa novela vai até maio, e depois melhora.
– Por quê?
– É quando eu acabo de revisar os seis mil e tantos…
– Você precisa de tratamento.
– Não é a primeira ou terceira vez que ouço. Uma neurologista repete isso, inclusive.
– Viu? Somos duas.
– Ela fala como se eu fosse o “Carajás da psicanálise”.

E agora chegamos ao ponto em que o Fabiano Augusto anuncia outras marcas, ensanduichado pelos novos apresentadores da Casas Bahia. Todo mundo gritando.

Inclusive eu.

27/01

– Anteontem, no táxi, o LCD mostrava o Acústico 2 do Roupa Nova, com a música que eu andara escutando. Quase tirei onda com o taxista “Ó, eu fiz parte disso, e mexeram em tudo o que eu fiz!”
– Olha a mágoa.
Hmpf.

Felicidade é encontrar o novo monitor do escritório em sua série favorita.

26/01

Tanto o Gula Gula quando o Via China ignoraram meus e-mails com observações. Já era hora de algum artigo revelando quais dos agentes de comércio offline realmente apresentam páginas de Internet, e não um mero embuste para fazer constar.

Terra: Menino chinês de 4 anos mata 443 frangos com grito

‘taí um grande candidato a ringtone.

25/01

Liv manda avisar do concurso ceramics for breakfast, de onde pesco duas maravilhas:


name of design : punch
design by : cristobal karich from france


name of design : S.O.S.
design by : chaiyapruk tongcham + panatda manurasda from thailand

– Caralho, Zé, vem pra cá.
– O 584 passa?
– Você vai amar isso aqui, sem sacanagem.
– Sacanagem é ler isso na condição atual.
– Só digo o seguinte: Ainda estou na Holanda, e tomando Duvel, Westmalle, La Trappe e o caralho a quatro – a 2 ou 3 euros.
– …
– Cara, tudo aqui é incrível.
– …
– Hoje eu fui num concerto e quase chorei. Vem pra cá.
– Veja bem…
– A gente tem que vir pra cá depois.
– Vovó Stella Artois!
– Sério, “é muito você”.
– ENTÃO É UMA MERDA. Mas eu vou, já que você está precisando de um companheiro de copo.
– Aqui é o lugar.
– E eu nem fumo, se bem que, aí… tem que experimentar.
– É tranqüilo.
– Queria comer um “bolo”.
– Eu comprei um Space Muffin, e comemos metade. Dá na boa, é só pegar leve. E tô comendo de tudo, aqui.
– ‘tá frio?
– Pra caralho, tô congelando.
– Inveja.
– Mas tá ótimo.
– Perfeito pra tomar cerveja de alta graduação.
– Cara, sério, você tem, mas tem muito que vir. Pô, cerveja na temperatura ambiente… você iria amar, muito. Trouxe uma Chimay e uma Leffe pro hotel, pra tomar com o resto do Space Muffin.
– A Jaca!
– Vi um concerto hoje, ao meio dia, grátis. Lindo.
– Levou o abadá?
– Éééééééééééééééééééé
– Maratona!
– ‘tô pegando leve.
– É… em Amsterdam! Agora você é o Haroldeen.
– Ah, é!
– E por acaso tem SBT Repórter na Holanda, hoje.
– Eu já tô ligado que rola uma “tevê desgraça” na Holanda, mas a diferença é que mostra uns batedores de carteiras, uns mendigos defendendo pontos de vista, e em inglês. Era um programa como o do Wagner Montes, com essa “pequena” diferença de conteúdo.
– Não me fale em Wagner Montes, que hoje eu vi um repórter disputando corrida de saco no programa dele. E olha a margem!
– Ah, moleque.
– Aliás, você viu as fotos dos PMs com as turistas em Parati?
– Não vi.
Dial M for Mulambada.
– Eu vou levar um Moleskine pra você. É o sketchbook clássico, usado por Van Gogh, Picasso… e agora, Nogueira Filho!
– Ah! Ladeira abaixo!
– Vou levar!
– Mudando… Já comeu algum queijo bom? Um reblochon “fedorentão” ou coisa do tipo?
– Comi alguns. Parece que não rola uma comida “típica” da Holanda, aqui. Como não faltam restaurantes de outros lugares da Europa, você come de tudo. Já comi irlandesa, espanhola, alemã…
– …
– Vou dar uma desligada. Devo ir num moinho onde fazem a própria cerveja. Todo dia rola uma cervejinha, mas tá tranqüilo. É o tipo de viagem que você iria curtir, sem pressa, bebendo e comendo tranqüilamente, parando num café pra olhar a rua…
– E ainda tem a Bélgica. Lá vem destruição! Você vai ter muito assunto com uma pessoa lá do escritório.
– Ah, moleque! Bom, agora eu vou… fui!

24/01

– http://www.goocrente.com/
– HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA “Jesuggle” seria melhor.
– Goddle!

Viu os mascotes oficiais da Olimpíada de 2008, em Pequim? Asiático adora uma trupe colorida.

Próxima Página »
 

Powered by WordPress