31/05

A única trapista holandesa, avermelhada e levemente adocicada.

Aguardada como poucas, a Monasterium é a primeira cerveja brasileira no estilo Tripel Belga, o que nos levou a um exclusivo e inesperado ponto de venda.

Não falta personalidade a esta inglesa maturada por dois anos em tonéis de carvalho.

O ambiente é fundamental, e por isso descobrimos próximo à Praça da Bandeira o Aconchego Carioca, apresentando um razoável leque cervejeiro – e eventuais aparições caseiras da ACervA Carioca, que ali constitui uma sede social – e a notável cozinha de influência nordestina, com destaque para o demorado e justificável Camarão na Moranga. Para aguardar, aliás, é que existem os croquetes.

Vale a visita, nem que seja pela gostosa gargalhada da comandante-em-chefe Katia.

Volta e meia a crítica política deixa patente o desejo simplório pelo contra, que, nas administrações, incide justamente sobre o cotidiano popular. Salvam-se os céticos, fode-se o povo.

Em que pese a eterna – e universal – pilantragem que alicerça qualquer evento, ousemos separar benesses e fiscalização. E que o Pan, por exemplo, nos sirva de consideração.

29/05

O DIA, 27 de Maio: Dois homens morreram em confronto com policiais militares do 14º BPM (Bangu), no final da tarde deste sábado, na favela Minha Deusa, em Realengo, Zona Oeste do Rio. (…)

Quer um nome de comunidade mais caléga?

Mas eu continuo preferindo a Favela do Boogie Woogie.

A Síndrome de Censa parece aumentar à medida que a educação cotidiana, automatizada pelo atendimento e fermentada pela pressa, força cada um ao mesmo procedimento. “Com licença”, tão usual, nos leva a ela.

28/05

Globo.com, 18 de Maio: (…) Nesta madrugada, ela caiu de uma altura de 30 metros de um brinquedo chamado Queda Livre durante feira no Parque de Exposições da cidade. (…)

Bem.

27/05

O forte aroma de chocolate pede pela harmonização.

Sabor pronunciado para o cotidiano.

Possivelmente a cervejaria artesanal mais antiga ainda em operação no País, a Canoinhense apresenta aqui a sua Malzebier – sim, é Malzebier, mas a curiosidade abre alas. De qualquer forma, o resultado confirma o xarope adocicado ao extremo, que nem o jarro de planta comporta.

Tenho horror a taxista em dia de jogo.

25/05

Com muito atraso, em qualquer sentido: que débil mental, esse José Serra. Apontar uma arma, dar esse tipo de exemplo de manuseio, realmente.

24/05

Acostumada ao meu relato humorado – ainda que eventualmente involuntário –, muita gente arredonda a percepção, impossibilitando compartilhar, por exemplo, qualquer angústia.

Vai por terra, assim, a comunicação.

– Dessa vez você não tem desculpa para faltar.

Como se eu precisasse.

23/05

Boa aparência, aroma e leve amargor.

A aparência convence e não chega a cumprir, mas vale o que está torrado.

Estranha aparência, leveza e pouco amargor. Mas é pilsen.

A pilsen encorpada, melhor.

A pilsen encorpada, sem grandes surpresas.

Um bom começo, boas cores e sabor pronunciado.

Ps.: Neófito que sou, não me arriscaria ainda a grandes avaliações etílicas. O importante aqui é documentar fotograficamente. Num futuro qualquer, quem sabe, eu arrisco algumas linhas.

– Aquelas chapas do Garota do Flamengo são clássicas. É o maior fumacê.
– Eram duas na mesa. Eu ri nervoso com a fumaça, enquanto o pai da família ali reunida, compenetrado, controlava o aparato.
– Nego fica amarradão, é um evento!
– Talvez eu não entenda, mesmo. Cheguei em casa e tomei banho, inclusive, pra remover os resíduos.
– A gente tem que ir lá um dia.
– Tem.
– Pô, quer coisa melhor? Você vai ao restaurante e bota a sua própria carne pra assar! Isso me lembra aquela idéia de fazer um restaurante com churrasqueira em todas as mesas, mas, pelo visto, eles se anteciparam.
– Esqueci de comentar sobre o churrasco de luxo embaixo da sede da Generalli, com direito a acompanhamento, pratos.
– Eu não sei se a gente anda reparando demais, ou se a coisa realmente se disseminou.
– Acho que já aconteceu há algum tempo, mesmo.
– Há 500 anos?

É melhor parar com esse tema, já que as ferramentas de busca vão me amaldiçoar.

22/05

– Você é uma das pessoas mais fofas que eu conheco… Não sei por que fica fazendo essa pose de mau.
– Vende mais.

20/05

O ódio que eu tenho dessas simulações de viewfinder na tevê.

19/05

Prezado Elesbão,

Xangai realizará em junho de 2007 a décima edição de seu Festival Internacional de Cinema, único da China, que tem este ano o Brasil como o país homenageado. Durante o festival, o Consulado-Geral do Brasil em Xangai realizará a Mostra Foco Brasil, onde será exibida nossa recente produção cinematográfica.

Dentro da programação oficial da Mostra, estamos organizando um seminário para universitários chineses sobre Design Gráfico Brasileiro de Cartazes e uma mostra de cartazes brasileiros inéditos em uma galeria de arte da cidade com o tema “Descubra o Cinema Brasileiro”. O objetivo desta iniciativa é estimular o público chinês a travar conhecimento com o Brasil, através da sua vasta e rica produção cinematográfica e da cultura brasileira através de peças gráficas que representem a qualidade e a variedade das nossas artes visuais. É para isto este contato: nos sentiríamos honrados em ter um cartaz exclusivo seu na exposição.

Caso aceite o convite, a arte do cartaz deve estar pronta até o dia 15 de maio. O formato é vertical, 60cm X 90cm, e o arquivo digital deverá estar no formato .TIFF, a 200 dpi, em CMYK. Em breve enviaremos as instruções para seu envio via FTP. Precisamos também de seu número de fax para que o Consulado-Geral encaminhe sua carta-convite oficial.

Anexo deverá ser enviado um arquivo .DOC com as informações de autoria do cartaz, que constarão da legenda na exposição e nos catálogos impresso e online. Solicitamos que, se necessário/desejado, o crédito seja indicado a 5mm da LATERAL DIREITA do cartaz, em Corpo 6.

Em se tratando de uma exposição organizada pelo Consulado-Geral do Brasil em Xangai há algumas diretrizes que devem ser respeitadas em relação as peças expostas:

– Apesar do tema da mostra ser “Descubra o Cinema Brasileiro”, por uma questão de cortesia com o público chinês o cartaz não deverá conter NENHUMA mensagem textual, seja em português, inglês ou chinês. Isso possibiltará também que a exposição itinere em outros país asiáticos. A legenda “Descubra o Cinema Brasileiro (em chinês ou no idioma necessário) by Fulano de Tal” constará de uma tarja na base do cartaz.

– Assim como os filmes da Mostra, os cartazes estão subordinados a organização do Festival, portanto não podem ser considerados ofensivos a moral e aos costumes (geralmente pudicos) chineses, de teor sexual, político ou de atrito social. Lembramos também que questões relativas a direitos autorais e de imagem devem ser observadas quando da referência ou utilização de imagens de filmes ou pessoas.

Desde já agradecendo sua gentileza e interesse, nos colocamos a disposição para solucionar quaisquer dúvidas que possam surgir.

Atenciosamente,

Billy Bacon e Bruno Porto

Pois que eu resolvi abordar a dependência estrutural e conceitual do modelo cinematográfico pelo televisivo, numa sucessão de aparelhos que sugerem um país urbano, cuja natureza – em ambos os sentidos – é auto-referente.

Fora as perfurações da película e discreta sugestão, pelo conjunto, do losango da bandeira.

Ps.: Não está exatamente como eu pretendia, dada a limitação pessoal no 3D, mas dá para o gasto. Baideuei, o modelo para o aparelho de tevê tem a autoria de Sorin Georgescu.

Prxima Pgina »
 

Powered by WordPress