31/10

Eu trocaria os Dez Mandamentos por dez ditados.

O direito à estupidez é universal; o que pega é a freqüência.

30/10

Se a comunicação é relativa, não nos faltam Einsteins.

“Erro de Português” foi descobrir o Brasil.

Viver é uma licença poética.

– Qual conselho você dá para quem está começando?
– Não pedir conselho.

Há quem aplique ao termo “querido”, inconscientemente, um identificador de pernosticidade.

29/10

Em visita, Maurício:


Etilicamente incorreto.

– Acordado a essa hora?
– Trabalhando, claro.
– Vai dormir; você é o seu patrão!
– Também sou o meu empregado.

28/10

DJ Dolores & Orchestra Santa Massa trouxe um som eletro-nordestinizado para o Main Stage; interessante, ainda que sem contágio. Em seqüência, Roni Size e o Reprazent, prejudicados pela equalização que comprometeu as freqüências médias – ainda assim, fenomenal. Aphex Twin trouxe um quê de Squarepusher, enquanto Richard James discotecou embaixo da mesa, levantando uma possível crítica aos bunkers e ao teatro de guerra atual, o que realmente me escapa.

Infelizmente, o Village é agora refém de um público típico da noite adolescente, prejudicando a extensão do evento. O espaço deveria ser restrito àqueles com ingresso: “questão de bom senso.”

27/10

Eu bosto, tu postas.

Você não deixa de ser; apenas sossega.

tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti

tuuuuuuuuummmmmmmm

tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti-tun-ti-tá-ti…

Esse negócio de hard-deep-house-trance-techno parece mais um moiré sonoro.

26/10

Marlon Jordan Quintet mostrou competência e pressão, com destaque para a bateria; e a surpresa, The New Orleans Nightcrawlers, esbanjou pressão e variedade, levantando as cadeiras.

Em sendo o New Directions a mesma estrutura do tardio Cream, ousamos permanecer pelas sombras, ignorando o intervalo dos palcos e a produção. Com naturalidade, ganhamos a passagem para o segundo e seus monótonos DJs Mau Mau, Yousef, Hernan Cattaneo, Sander Kleinenberg e Timo Maas.

Estacionando, e o guardador:

– Até 19h é dois real. Pra ficar até amanhã, a gente faz por cinquinho!

Em meio à negociata:

– Querendo uísque, a gente tem.

E o primeiro cambista, adiante:

– Tem ingresso pra vender? Qué algum? Fatslim Boy, vai?

Ao meu riso:

– É isso aí, abrasileirado e não americanalhado!

Ao que o colega:

– É americanizado, ô imbecil!

Prxima Pgina »
 

Powered by WordPress