29/02

Uma das belas comuns ao horário de almoço remete à sensual Mena Suvari – Angela Hayes, em Beleza Americana.

É no terninho que ela mata a gente.

XIII – Dia Internacional do Bracarense – O DIB de sempre

Como rezam os estatutos, já dizia Buñuel: “La tradición és una estatua que anda”. Em nome da tradição é que dizemos, apesar dos pesares, mais uma vez: Vem aí mais um, o esperado XIII DIB.

Há alguns anos, este magnífico e tradicionalíssimo evento não ocorre exatamente na data de 1º de Março. Desta vez, não será diferente. Então, sem muita enrolação:

A Fundação Para o Dia Internacional do Bracarense tem o prazer de convidá-los para o maior evento anual de todos os tempos:

Dia Internacional do Bracarense – décima-terceira edição – 3 de Março de 2008.

Esta tradição milenar mais uma vez não se repetirá, como no passado, em 1º de Março, junto ao aniversário da Cidade do Rio de Janeiro.

Em 3 de março de 2008, excepcionalmente, todos devem se dirigir à Rua José Linhares, numero 85B, quase esquina com a Ataulfo de Paiva, no bairro do Leblon, na cidade do Rio de Janeiro (Lat:22° 53′ – Long:43°17′ – antiga capital do saudoso Estado da Guanabara), Brasil. Sem horário definido, mas com a presença de alguns dos fundadores por volta das 19 horas. Ou não.

Lá, todos desfrutarão das melhores iguarias e dos nectares servidos neste santuário, em total harmonia, alegria e paz. Esperamos todos vocês! Agradeço a atenção dispensada.

Assessoria de Comunicação
Fundação Para O Dia Internacional Do Bracarense – Fevereiro de 2008.

28/02

Graças aos Mórmons e seus registros além pares, cheguei ao até então desconhecido ano de nascimento de meu avô paterno: 1865.

Casado pela primeira vez em 1890, e com a minha avó no século a seguir, contaram-se até 21 filhos entre duvidosos e natimortos, sendo meu pai o temporão – como eu.

Minha tia mais velha, se viva, teria 117 anos. É o verdadeiro kerning familiar.

Ps.: Sem contar que meu avô concebeu até os 68. Ovelha negra, eu?

27/02




Identificando a preferência sexual:

– Ele reconhece fúcsia.

26/02

Mal disfarço o riso diante daqueles precocemente grisalhos, justamente os que reparavam em minha rala capilaridade pós-adolescente.

Sobre o Oscar: como Robert Boyle, eu esperaria 98 anos para dar as mãos a Nicole Kidman (ainda que um tanto desfigurada).

Laura Linney é outra que inspira.

Ps.: O teto do palco do Kodak Theatre lembrou o finado Cinema Condor Largo do Machado.

25/02

Depoimento no Orkut: “O que falar da Fulana?”

24/02

Por que não homenageiam grandes intérpretes com grandes intérpretes?

23/02

Via CrisDias

Você entende o volume da maratona, ao entrar no bar pela segunda vez perguntando à garçonete pela última passagem.

22/02

– Os brasileiros não compreendem o que lêem.
– O que você quis dizer com isso?

“Rede Mundial de Computadores”

21/02

Tem gente que pode declarar o próprio nome como profissão no Imposto de Renda. Dercy Gonçalves, por exemplo.

Coisas que você ouve de um sujeito às vésperas da paternidade:

– Os médicos falaram em quatro quilos. ‘tô só imaginando aquela jaca, destruindo tudo pelo caminho.

Prxima Pgina »
 

Powered by WordPress